Já perdi a conta do número de vezes que escutei pessoas falando o seguinte:

“Não vou fazer isso porque eu não sou bom”
“Não vou fazer isso porque eu não tenho talento, então, eu nunca serei bem sucedido nisso”

Eu pensava dessa forma. Até o dia que decidi empreender. Eu descobri que eu não era bom na maioria das coisas e se eu fosse ter o mesmo pensamento das outras pessoas, logo desistiria.

Fui pesquisar mais a fundo o tema e descobri o seguinte: na maioria das vezes, as pessoas que tem tudo para dar certo, vulgo, as que tem talento, não são tão bem sucedidas como deveriam.

Estranho isso, não? Em tese, se você já tem o talento você precisaria se esforçar bem menos que os outros para alcançar o sucesso. Mas é aqui que mora o problema.

Essas pessoas sabem que elas precisam se esforçar menos para ter o resultado e então, elas nem chegam a se esforçar. Já as outras, as que tem a chamada disciplina, garra ou GRIT, fazem todo dia um pouco. Fazem dia sim, e dia também desta forma, elas acabam se destacando.

Respondendo a pergunta do começo do post. O que te faz ser bom em algo?

É justamente isso. Não é o talento, não é o fato que você nasceu com o dom pra fazer aquilo. O que te faz ser bom em algo é a consistência. É ir malhar ou correr quando você está cansado e já deu como certo que vai passar a noite no Netflix. Ou estudar mais uma vez aquela apresentação que você vai fazer para o seu chefe, ao invés de tomar uma cerveja.

O sucesso não é composto de um fato mágico. De uma coisa que acontece do nada na sua vida e muda tudo. Ele acontece através das pequenas ações e escolhas que você toma no dia-a-dia. Mas aquelas que você toma constantemente.

E aí, o que você acha. Quem supera quem? O talento supera a disciplina? Ou a disciplina supera o talento? Responda aqui embaixo. Quero muito saber sua opinião sobre isso.

Ah, e se você gostou do tópico, comente aqui. Tem um livro sensacional sobre isso, se tiverem algumas pessoas com interesse, eu gravo um vídeo resumo sobre ele 🙂