Ultimamente venho notando várias pessoas reclamando da dificuldade em se conseguir um estágio ou emprego. Essas reclamações crescem em tempos de crise, porque existe uma confortável desculpa na qual a pessoa simplesmente fala: “Não consigo emprego por causa da crise”.

Mas, se prestarmos atenção, assim que a crise passar a desculpa vai ser o curso que não é bem visto no mercado, a faculdade que não é considerada de ponta, a exigência de experiência, a falta de intercâmbio, etc.

Conseguir um bom estágio nunca foi tarefa fácil, mas também não é nada de outro mundo. Exige-se dedicação e um bom mapa do caminho. Nesse texto vamos fugir um pouco dos processos seletivos tradicionais e falar de como você pode conseguir um estágio usando o Linkedin, a maior rede social profissional do mundo.

 

O Linkedin funciona?

Enquanto escrevia O Livro Negro dos Estágios com o Peirol, tive a oportunidade de conversar com várias pessoas sobre como conseguiram seus estágios. Um dos depoimentos que mais gostei foi o do Luis Dos Anjos, que conseguiu um estágio usando o Linkedin.

Basicamente a estratégia dele foi usar a rede social para fazer uma lista de 50 empresas da sua região, que contratavam pessoas com a sua formação, e mandar e-mail para todas. Várias não responderam ou deram respostas negativas, mas 2 chamaram ele para uma entrevista e o Luis acabou sendo contratado.

Esse é só um dos casos, mas existem inúmeros outros. Para não deixar o texto muito longo, vamos focar nas dicas de como usar o Linkedin para conseguir um estágio.

 

Criando seu Perfil no Linkedin

É incrível começar a notar a correlação que existem entre pessoas que reclamam que não conseguem estágio e que não possuem um bom perfil no Linkedin (ou não possuem nem conta).

Para aumentar suas chances de contratação, mesmo em processos seletivos tradicionais, ter um perfil bem montado é essencial.

Se ainda não tem conta, se cadastre no site: http://www.linkedin.com/

O processo de cadastro é um pouco chato, pois ele vai querer confirmar e-mail e celular, mas é bem intuitivo e leva menos de 5 minutos.

Entre os passos do cadastro o site vai pedir para você importar seus contatos de e-mail para começar a criar conexões. Recomendo que faça isso para já ter alguns contatos, primeiro porque é bacana estar conectado com alguns amigos, em segundo lugar porque isso passa uma melhor impressão de seu perfil, parecendo que você usa a rede social com mais frequência.

Após finalizar o cadastro, o Linkedin vai sugerir mais alguns amigos, procure conhecidos e adicione-os.

Uma vez finalizado o cadastro é hora de começar a editar o seu perfil. De começo, como qualquer rede social, vai parecer um pouco confuso, mas você pega o jeito. Clique no botão “Visualizar mais” (veja na imagem abaixo) que irão aparecer vários campos que você pode completar.

Irão aparecer vários itens como esse escrito “Foto” e “Setor”. Você deve clicar e preencher no mínimo os itens abaixo que são essenciais:

  • Formação Acadêmica: Dê mais informações sobre sua faculdade e curso de graduação;
  • Experiência: Se já trabalhou pode colocar aqui. Se ainda não, vale colocar cargos em empresa júnior, ligas universitárias, atléticas, centros acadêmicos, etc.
  • Idioma: Coloque os idiomas que você fala, não se preocupe caso não seja fluente, você pode colocar nível intermediário;
  • Competências: Essa é uma parte importante, pois as pessoas podem recomendar suas competências. Coloque competências comportamentais e técnicas, coisas desde “Excel” até “Organização de eventos”. Pode colocar uns 10 itens, assim pessoas diferentes podem te recomendar por diferentes competências;
  • Resumo: Aqui você escreve um breve resumo sobre você, pode destacar suas competências e o que você já realizou, além de prêmios recebidos. Caso não tenha experiência, trabalho voluntário ou atividades extracurriculares, use a criatividade para se descrever de modo que chame a atenção do entrevistador.

 

Depois dos campos básicos, busque preencher o máximo de campos possíveis. Quanto mais completo o perfil, mais profissional você irá parecer aos olhos de um recrutador. Terá campos de publicações, trabalho voluntário, prêmios, projetos, cursos e outros.

E caso ainda não tenha colocado lembre-se de selecionar uma foto de perfil profissional. Não esqueça que Linkedin não é Facebook, nada de fotos muito sensuais, sem camisa e por aí vai.

 

Encontrando Emprego no Linkedin

O Linkedin possui várias formar de realizar busca, elas podem ser um tanto confusas no começo, mas garanto que são muito poderosas.

Abaixo vou citar como encontrar oportunidades com o Linkedin.

Para começar vou contar como o Luis, que citei lá em cima, fez para conseguir os contatos de empresas para mandar e-mail:

Por curso: Na caixa de busca digite o nome do seu curso, por exemplo, “Engenharia de Produção”.

A caixa de busca é essa circulada em vermelho, no topo da página

Na tela de resultados, no canto esquerdo há vários filtros, selecione “Pessoas”. Você verá vários usuários do Linkedin que fizeram o mesmo curso que você e onde trabalham.

No canto esquerdo terá um campo chamado “Localidade”, digite o nome da sua cidade para descobrir onde os profissionais daquela área costumam trabalhar na sua região.

Campo Localidade e Pessoas (você também pode usar outros filtros)

A partir disso o Luis selecionou o nome de 50 empresas, caçou os e-mails na internet, e entrou em contato com cada uma delas perguntando sobre oportunidades de estágio.

 

Por faculdade: Você pode descobrir quais empresas mais contratam pessoas da sua faculdade, afinal se chamam muita gente é porque gostam. Para pesquisar por faculdade você pode pesquisar naquela mesma tela do curso, um pouco abaixo no canto esquerdo terá a opção “Instituição de Ensino”.

Porém, tem um jeito melhor. No menu superior tem um botão chamado “Minha rede” clique nele, abrirá um sub menu e então clique em “Encontrar ex-alunos”.

Se você já havia cadastrado sua instituição de ensino ela aparece automaticamente, mas se quiser existe um botão chamado “Mudar Instituição”.

Nessa tela você pode ver quais empresas possuem mais alunos da sua universidade trabalhando, o que esses alunos fazem, onde vivem, o que estudaram, etc. O mais bacana é que você pode ir “filtrando” para achar pessoas com um perfil semelhante ao seu, para isso basta clicar, por exemplo, em uma das empresas que aparecem e depois no seu curso de formação. Pronto, você verá quais alunos da sua universidade, que fizeram o curso X, trabalham na empresa Y. Explore bastante essa ferramenta.

Uma boa pedida, além de se candidatar para empresas que possuem um bom número de pessoas da sua faculdade, é tentar mandar mensagens e marcar um Skype com os alunos e ex-alunos que trabalham lá. Assim você pode entender melhor sobre o ambiente de trabalho e aumentar suas chances de contratação. Vá por mim, uma boa parte dos estudantes gostam de ajudar colegas da mesma universidade, não tenha medo de entrar em contato.

Para mandar mensagens privadas para quem você não é “amigo” no Linkedin você terá que ter a conta Premium. Você pode usá-la por um mês de graça e aproveitar bastante esse mês, ou simplesmente tentar caçar a pessoa no Facebook. Não recomendo caçar pessoas que você não tem “nada a ver”, mas ex-alunos da sua universidade pode ser uma boa.

 

Procurar direto por empregos: Outra possibilidade é procurar diretamente por emprego. Na aba superior existe um botão chamado “Empregos”. Você será redirecionado para uma página que terá dois campos para preencher, um com cargo ou palavra-chave, que pode ser tanto o nome da empresa, “estágio”, ou sua área de atuação, e outro campo com a localidade.


Coloque essas informações e pressione “Localizar Vagas”. Aparecerão várias oportunidades abertas, basta ir clicando nas que te interessam, algumas você se cadastra direto pelo Linkedin e outras irão te redirecionar para o site da empresa.

Se tiver algum ex-aluno que trabalha em uma empresa que você buscou, isso aparecerá para você abaixo do nome da empresa. Aqui você pode usar a mesma técnica de tentar entrar em contato que falamos no item anterior.

 

O Linkedin possui várias outras ferramentas, mas vamos com calma! Vá se acostumando com o site por enquanto.

 

Se quiser se aprofundar mais em como você pode conseguir o seu estágio, não deixe de ler O Livro Negro dos Estágios. O livro mais completo sobre estágios disponível em língua portuguesa.

Gabriel Vinholi